4 de maio de 2011

Mãe, Um Presente de Deus


"Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá."  Exodo 20:12

Obedecer os pais é tão importante que o próprio Deus escreveu com seu dedo em tábuas de pedra este quarto mandamento que é o que está acima relatado (ver também Exodo 31:18).

        Deus assim inclui "mãe" como a segunda posição hierárquica da família (I Timóteo 2:13).
         Estava refletindo esta manhã sobre o significado de "Mãe".
         Deus poderia ter mudado o quadro do surgimento de seres humanos na terra, e por conseguinte, este significado materno seria diminuido.
         Nós entendemos o nascimento de bebês como uma mulher engravidando e dando a luz ao bebê. Mas e se fosse diferente? Imagine um nascimento diferente para os seres humanos.
         Imagine que Deus poderia ter feito os seres humanos nascerem, por exemplo, como nascem as plantas.
         A mulher, depois da relação íntima, engravidaria, e uma semente sairia de sua boca. Esta semente, com uma cor característica, seria automaticamente reconhecido como o futuro bebê. Esta semente então deveria ser "plantada" e regada até o surgimento de um casulo. Este casulo daria origem ao ser humano.
         Esta concepção de nascimento, totalmente imaginária, utópica e relativa a filmes de ficção científica, poderia ser a nossa realidade. Bem, poderia, mas graças a Deus não é, *risos. Talvez, se esta fosse a origem dos seres humanos, o vínculo da criança com a mãe não seria tão forte quanto o é na realidade. Isto porque a criança fica 9 meses interligada através de um cordão umbilical a todas as reações da mãe, reações físicas, químicas, biológicas num sentido geral e até psicológicas, emocionais. Já nascemos totalmente "ligados" à mãe e ao nascer, o leite materno e o carinho e proteção maternos criam um forte laço emocional entre a criança e a mãe.
         Deus fez isto. Deus tornou a mãe um dos laços familiares mais fortes da familia. Por isto a importância supra da mãe em um lar.
         Resolvi escrever esta matéria não só com o sentido de homenagear as "mamães", mas também com um fundo moral. Isto porque tenho lido nos jornais muitos casos em que filhos desobedecem seus pais, o que inclui a mãe, e Deus fica profundamente triste com tal atitude. É inadmissível a desobediência de um filho ou filha que é crente, pois conhece a palavra de Deus, os dez mandamentos, e ainda assim desobedece a estas duas autoridades familiares constituidas pelo próprio Deus.
         Por outro lado, os pais também precisam saber disciplinar seus filhos.
         A Bíblia diz
 :
"Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele."   Provérbios 26:2
Que caminho a criança deve andar? No caminho do Senhor, com certeza.
         Estudos psicológicos indicam que toda criança bem instruida nos caminhos éticos e morais, até os 10 anos de idade, serão crianças obedientes e determinadas a fazerem o bem. Quanto mais educadas também no caminho do Senhor!
         Ainda sobre a educação infantil, já que é um tema totalmente interligado ao assunto em pauta, redijo aqui a opinião da Dra. Daniela Levy, a qual é Pós-Graduada (Latu Senso) em Psicologia Clínica Hospitalar pelo Instituto do Coração - InCor do HC-FMUSP:
         "O que gera problemas na educação das crianças não é o fato dos pais trabalharem fora, mas a maneira como se comprometem com a educação de seus filhos, a forma como administram seu tempo e o tipo efetivo de educação que colocam em prática. Pais podem estar fisicamente próximos de seus filhos durante a maior parte do dia, mas podem não estar afetivamente disponíveis a eles. Não conversam intimamente, não brincam, brigam e gritam a maior parte das vezes que se dirigem à criança.
         Por outro lado, existem famílias que, mesmo estando a maior parte do dia longe de seus filhos, conseguem manter um relacionamento próximo, afetuoso e se envolver na educação dos filhos.
         Pais ausentes devem desenvolver algumas habilidades importantes para participarem ativamente na educação dos filhos:
         ·Administrar o tempo
         ·Serem afetivos
         ·Monitorar a distância
         ·Ser cuidadoso na escolha de com quem e onde deixar a criança na ausência
         ·Dar atenção
         ·Estarem acessíveis (para criança poder recorrer nos momentos em que precisar)".
         Mas voltando ao tema "Mãe", gostaria de reproduzir aqui um email que recebi sobre as virtudes de mulheres citadas na Bíblia. Não sei qual foi o autor deste email, mas a mensagem é explêndida. A Bíblia fala da "mulher virtuosa" (Provérbios 12:4 e 31:10), e com certeza, Deus quer que toda "mãe" seja virtuosa. Segue mensagem do email abaixo:
         Toda Mulher deve ser...
         Como Eva, que soube seguir em frente, e aceitar o perdão de Deus, mesmo tendo sido a primeira pessoa a pecar.
         Como a esposa de Noé, que acreditou nele, apoiando-o, mesmo quando ninguém Quis acreditar na mensagem que ele pregava.
         Como Sara, embora tendo duvidado da palavra de Deus, arrependeu-se, tornando-se mãe de uma grande nação.
         Como Rebeca, que aceitou a vontade de Deus para sua vida, sem hesitar.
         Como Raabe, que arrependendo-se de sua vida de pecados, se deixou ser usada por Deus, ajudando numa das grandes vitórias do povo de eus.
         Como Rute, que deixando para trás seu povo para seguir a Deus, mostrou como Deus, se preocupa com suas filhas e deseja que vivam uma linda história de amor!
         Como Débora, profetisa, que julgava o povo com sabedoria e justiça.
         Como Ana, que orou pedindo um bebê, e o devolveu a Deus para que ele se tornar um grande profeta.
         Como Abigail, mulher sensata, que evitou uma guerra e que muitos fossem mortos.
         Como Ester, mulher fiel a Deus, disposta a morrer pela sua fé e pelo seu povo!
         Como Maria, que com humildade, aceitou ficar grávida do Espírito Santo, antes de estar casada, numa época, em que isso poderia lhe custar a vida!
         Como Maria Madalena, que após ser convertida, expressou sua gratidão a Jesus, de uma forma tão singular, que sua história, é contada até hoje!
          Como Dorcas, que por viver abnegadamente, Deus a ressuscitou!
         Como Lídia, mulher temente a Deus, de coração aberto às mensagens de Deus.
         Como Eunice e Lóide, mulheres de fé, que souberam criar seus filhos nos caminhos de Deus, em momentos difíceis!
         Sim, a mãe virtuosa se destacará, será engrandecida por Deus, pelo marido e pelos filhos, e sempre será reconhecida, pois soube educar, soube aconselhar, soube dirigir os passos de seus filhos e acima de tudo, soube educar seus filhos "no caminho do Senhor".
         Que Deus venha abençoar todas as mães, e lhes dar sabedoria para administrar esta função tão importante na família, que é ser "MÃE".
         Abraço cordial em Cristo Jesus, nosso Senhor e Rei Eterno.


Autor: Márcio C. Rossi Bettecher

Uma Parábolas às Mães


A jovem mãe iniciava seus passos na estrada da vida. "E longa a estrada?" - perguntou ela.

"Sim" - respondeu-lhe o guia. "O caminho é longo e cheio de dificuldades.


Envelhecerás antes de chegar ao ponto final; mas esse final será melhor do que o início."
E a jovem sentia-se tão feliz que não podia crer na possibilidade de dias melhores do que os do presente. Então, brincava com os filhinhos, colhia-lhes flores ao longo do caminho, banhava-se com eles nas águas límpidas dos regatos; e o sol brilhava sobre eles; a vida era boa; e ajovem mãe exclamou: "Nada haverá mais belo, mais encantador do que isto!"

Desceu, então, a noite; desabou o temporal; a estrada era escura; os filhos, tremendo de frio e medo. A mãe, aconchegando-se a si, agasalhou-os com seu manto. As crianças, protegidas, murmuravam: "- Mamãe, nada mais temeremos, pois estás conosco, e mal algum nos pode sobrevir!" E a mãe exclamou: "Isto é mais valioso que o esplendor do dia, pois ensinei meus filhos a serem corajosos."

Raiou a manhã seguinte. Eis uma montanha à frente. Começaram a subir. Os filhos sentiam-se cansados; a mãe sentia-se cansada também, mas animava-os a todo instante, dizendo-Ihes: "Um pouco de paciência e chegaremos ao alto". Assim, as crianças iam subindo, subindo ... e ao chegar ao topo da montanha, disseram:

"Não poderíamos subir e vencer sem o teu auxilio, mamãe". E a mãe, ao deitar-se aquela noite, contemplando as estrelas, exclamou: "O dia de hoje foi melhor do que o de ontem, pois meus filhos adquiriram força em face das dificuldades. Ontem, dei-lhes coragem; hoje, dei-lhes vigor."

E o dia seguinte raiou com estranhas nuvens que escureciam a terra - nuvens de guerra, ódio e pecado. Os filhos, caminhando às apalpadelas, tropeçavam. A mãe animava-os: "Olhem para cima; levantem o olhar para a luz." E eles, erguendo os olhos, divisaram, além das nuvens, uma Glória eterna que os guiou e os protegeu na jornada através da escuridão. E, ao findar aquele dia, exclamou a mãe: "Este foi o melhor de todos os dias, pois hoje revelei Deus aos meus filhos."

Iam-se passando os dias, as semanas, os meses, os anos ... E aquela mãe chegou à velhice. Ela sentia-se definhada, curvada sob o peso dos anos. Mas seus filhos estavam crescidos, fortes, cheios de coragem. E quando a estrada se tomava difícil, eles a auxiliavam; quando o caminho era áspero e pedregoso, tomavam-na nos braços, pois era delicada como uma pena. Depois de algum tempo chegaram a uma colina, e além dessa colina distinguiram uma estrada brilhante, terminada por largos portões dourados.

E a mãe exclamou: "Cheguei ao fim da jornada. Agora eu sei que o fim é melhor do que o princípio, pois meus filhos podem andar sozinhos, e seus filhos depois deles."
E os filhos lhe disseram: "Tu andarás sempre conosco, mamãe, mesmo depois de haveres atravessado os portões. E eles esperaram, vigiando-a enquanto seguia sozinha, até que os portões se fecharam. Então exclamaram: "Nós não a podemos ver, porém ela ainda está conosco. Uma mãe como a nossa é mais do que uma memória. Ela é uma presença viva."

Autor: Pr Jonas Neto